segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Não queria falar sobre isso

Ah! Saudade!
Intruso sentimento que me invade.
Que não pede licença.
Que me faz lembrar quando não quero.
Que machuca ao afirmar que não voltará o que espero.
Prepotente dor,
que chega adonando-se do hoje,
decretando que o ontem nunca mais,
sem respeitar o coração que sangra,
por não ter o que um dia foi.

Ah! Saudade!
Maldade que o tempo comigo faz.
Devoradora de sonhos,
inspiradora de versos tristonhos.
Que prefere a escuridão da noite.
Que pretere a luz do dia.
Que me assalta a alma, por pura covardia,
pois não tenho como contra ti lutar.
Herança de um legado triste: saber que já não existe.
E o que foi não será jamais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo teu comentário. Deus te abençoe!