sábado, 21 de maio de 2016

Tu Sabe Vuá?

Ele gostava mesmo é de jogar bolinha de gude. Mira certeira, habilidade acima da média, que despertava a admiração e respeito da garotada. Cresceu, deixou de ser criança – adolescência complicada e violenta no morro. Não podia nem mesmo ser chamado de jovem, e já estava a serviço do tráfico. Começou como fogueteiro, mas aquela mira certeira o conduziu a postos mais elevados. E foi num tiroteio com a polícia que ele provou que era hábil não só com as bolinhas, quando acertou a cabeça do sargento que tombou no meio da favela. A ira tomou conta do batalhão. Indignados, invadiram a comunidade, com cães e como cães, procurando o autor da proeza. Não demorou muito pra achar o menino que não era mais menino. Então, lá em cima, do alto da pedreira, com o gosto da vingança na boca, o tenente perguntou: “Tu sabe vuá?”. Foram as últimas palavras que o menino ouviu na vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo teu comentário. Deus te abençoe!